Anúncios
Saúde e alimentação

Saiba os sinais, causas e como prevenir seu pet da hipertermia nas temperaturas quentes do ano!

Crédito foto: Pexels

Ainda falta um tempinho até chegar o verão, mas é importante começarmos a falar desde já sobre algo que costuma acometer cães e gatos com bastante frequência nas temperaturas mais quentes do ano. O Zolina explica para você um fenômeno chamado hipertermia ou internação e o que fazer quando seu pet está apresentando sinais do mesmo.

A Hipertermia é caracterizada pelo acúmulo do calor e o aumento da temperatura corporal, superior a 40ºC. Já que o animal não consegue trocar esse calor de dentro para fora, ele troca através da respiração. E quando esse mecanismo é ineficaz, acumula calor na parte interna, gerando hipertermia.

Suas causas estão relacionadas à exposição excessiva ao sol, exposição a ambientes de intenso calor, pelo consumo de medicamentos e pode ser também ocasionada devido a alguma patologia por febre muito alta. Além do intenso desconforto, a hipertermia pode até chegar a levar o animal à morte, em alguns casos mais graves.

Embora o calor possa elevar a temperatura dos animais sem causar problemas maiores ou ser sinônimo de febre, quando esse aumento é excessivo, a situação já pode se tornar preocupante. Tendo em vista que a temperatura normal dos cachorros é, naturalmente, mais alta que a dos humanos (girando em torno de 39°C), é acima dos 40,5°C que a ocorrência já pode ser considerada como uma hipertermia em cães – exigindo a visita a um veterinário para evitar que complicações maiores possam surgir.

Causas

  • Exposição a ambientes com temperatura elevada;
  • Fatores que impedem o mecanismo de perda de calor;
  • Prática excessiva de atividade física;
  • Desidratação;
  • Intoxicações diversas;
  • Drogas como fenotiazinas, depressores miocárdicos, barbitúricos, anfetaminas, etc;
  • Por agentes patológicos.

Sinais Clínicos

Detectar a hipertermia em seus primeiros estágios pode ajudar a evitar danos permanentes aos órgãos internos do cão. Algumas das manifestações iniciais são:

  • Confusão Mental;
  • Câimbras;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Aumento da frequência cardíaca;
  • Ansiedade;
  • Perda de Coordenação;

O que fazer?

  • Coloque o animal num lugar ventilado e fresco;
  • Use toalhas molhadas ou um borrifador de água para resfria-lo;
  • Dê-lhe água, mas não em excesso para que não vomite;
  • Acalme-o com carinhos;
  • Não dê alimentos;

A única maneira de saber se a temperatura do organismo do animal está elevada é medindo-a pelo reto. Normalmente, ela deve ser entre 37,8 °C até 39,3 °C; ele estará com hipertermia se ela superar os 39,5 °C e será fatal ao chegar a 43 °C, na maioria dos casos.

Lembrando que esses mecanismos devem ser feitos como emergência até a chegada ao veterinário. Na maioria dos casos, o animal vai precisar ficar internado, no soro para controle de temperatura. Além de tratamento em caso de lesão renal.

Danos internos (aos órgãos) é um possível efeito adverso da hipertermia. Complicações não diagnosticadas podem ser fatais ao animal. Lembrando que não é necessário deixar de fazer caminhadas com o cão em dias quentes, mas é importante sair em horários com temperaturas mais amenas: bem cedo pela manhã e no final da tarde.

É importante lembrar também que o animal fica mais perto do solo. Uma boa maneira de conferir se o chão está muito quente é verificar o asfalto com a sola do pé: se estiver tão quente que seja impossível caminhar descalço, está quente demais para o animal também.

É importantíssimo frisar que as raças braquicefálicas, como Pug, Buldogues, Shih-tzu, por possuírem o focinho mais curto e o palato alongado, tem uma maior dificuldade de respirar e, consequentemente, de trocar calor com o ambiente. Com isso são mais propensos a ter hipertermia. Por isso, deixa-los em casa com ambiente fresco (se possível com ventilador), piso frio, água fresca é muito importante para que seu animalzinho não sofra em fases de alta temperatura.

E aí gostaram das nossas dicas? Fiquem atentos com esse calor que está por vir e prestem atenção aos sinais que seu amiguinho pode estar tentando te passar! 😉

cachorro-pulando-na-água
Crédito foto: Pexels
Anúncios

0 comentário em “Saiba os sinais, causas e como prevenir seu pet da hipertermia nas temperaturas quentes do ano!

%d blogueiros gostam disto: