Comportamento

Quero adotar um animal. O que fazer e quais são os cuidados necessários?

Veja as dicas do Zolina sobre os procedimentos e dicas para adotar um animal de estimação!

Quem não gosta de chegar em casa e ser recebido com amor, carinho e felicidade? E quem proporciona essa recepção calorosa depois de um longo dia de trabalho, estresse e preocupações? Nossos bichinhos, é claro!

No entanto, muitos deles são vistos como meros objetos e, por vezes, são abandonados e maltratados sem nenhuma consideração, e ficam sem um lar, o que é muito triste e cruel! Mas há também os casos de doação de animais em caso de cria e os donos não poderem assumir todos os filhotes nascidos, o que é super normal e coerente!

Enfim, seja qual for a sua razão, a adoção é considerada um ato lindo e de muita responsabilidade, que deve ser pensado e discutido por todos os membros da família, afinal, a vida de todos será transformada pelo animalzinho que vai chegar.

É necessário que o futuro dono saiba os pré-requisitos de ter um novo amiguinho em casa, afinal, não é tão simples ter um bichinho de estimação em casa, como parece ser. E para isso é importante considerar e dedicar uns minutinhos pra pensar nos pontos a seguir:

Os seus familiares já aceitaram a ideia? Argumente bem com sua família antes e pergunte o que eles acham da ideia e se eles vão realmente aceitar o seu novo animalzinho. Hoje, infelizmente, esse é um dos grandes fatores que levam ao abandono. Então, antes de adotar, converse com a sua família.

Você terá tempo para cuidar do seu bichinho e educá-lo? É importante antes de adotar um animal, ter consciência de que é necessário tempo e disposição para cuidar e brincar com ele e também para educa-lo, afinal você está ganhando um novo integrante da família e que também precisará de atenção e cuidados.

Você já parou para pensar nos custos de ter um pet? Pense em quanto você terá disponível nos próximos meses para uma alimentação de qualidade, consultas periódicas ao veterinário, castração, vacinas.

Você está preparado para os próximos 10 ou 15 anos? Esse é o tempo que o seu pet provavelmente viverá. Dessa forma, você precisa ter um planejamento, saber se terá condições para cuidar dele depois de tanto tempo. Além de pensar no seu futuro, pense no futuro do seu pet.

Dicas para adoção

– Alguns animais tendem a ser mais “energéticos” do que outros, muitas vezes precisando brincar muito durante o dia e, caso eles não gastem a energia necessária, o alvo pode ser o seu tênis favorito ou o pé da mesa. Da mesma forma que crianças gostam de brincar, os animais também. Então, esteja preparado para lidar com a energia do seu animal.

– Tenha em mente que nem sempre o animal que está mais quietinho, é necessariamente o mais calmo. Ele apenas pode ter tido um tempo de lazer e no momento em que você chegou, estava descansado.

– Não ignore cães velhinhos! Eles precisam de amor e já estão mais maduros e estáveis do que os filhotes. Como já estão em uma idade mais avançada, você não terá grandes surpresas quanto à personalidade dele, pois já está formada.

– Os velhinhos são uma excelente opção e o melhor, inclusive para pessoas idosas. Os animais mais velhos não precisam gastar aquela energia do filhote já que estarão mais equilibrados, já passou da fase de roer e já sabem fazer as necessidades no local correto. Infelizmente, não são muitas as pessoas que olham por estes, já que filhotes e animais mais novos normalmente chamam mais atenção. Porém, você não precisa ser igual a maioria, não é mesmo?

– É importante que você não faça decisões baseadas em sua emoção. Provavelmente, quando for a um canil, por exemplo, é natural ficar assustado com o estado de alguns animais. Realmente é difícil resistir aos olhares tristes e solitários de alguns deles. Porém, você não poderá mudar de ideia caso o adote. Faça se você tiver certeza que ele é perfeito para o seu lar e ambiente e que terá condições de mantê-lo.

– Evite filhotes com menos de cinco meses de idade se, em sua casa, existirem  idosos. Os filhotes possuem dentes de leite extremamente afiados e poderão causar acidentes não intencionais. Outro motivo para evitar filhotes é quando se tem crianças com menos de sete anos em casa, pois muitas vezes,  ela pode acabar machucando o novo integrante da família ou vice-versa.

Onde posso adotar?

Você pode entrar em contato com algum protetor de animais, ou seja, organizações não governamentais (ONGs) ou de indivíduos que recolhem bichinhos de rua para buscar um lar para eles. Existem também os eventos de adoção, é uma ótima oportunidade para encontrar seu novo amigo. Outra forma é a internet, você pode fazer uma busca em um site de adoção de animais, selecionar os links que você preferiu e ir conhece-los pessoalmente.

IMPORTANTE: Seja atencioso no momento de resgatar animais de rua! Nem sempre eles estão abandonados. Ele pode ter um dono que o deixa passear durante o dia, pode ser um animal perdido ou até mesmo estar adaptado a sua vida nas ruas. Não o leve para casa por impulso.

Regras para adoção

Entre as regras para quem quer adotar um animal, estão: ter mais de 18 anos e assinar um termo de compromisso. A maioria dos protetores organizados e independentes ainda conversa com os candidatos para verificar as intenções e condições do pretendente. Bem simples, mas é bom estarmos cientes!

E depois da adoção, como proceder?

  • Clínica veterinária: se você ainda não tem, encontre uma clínica veterinária de confiança próxima de você e que possa lhe atender nas mais inesperadas horas.
  • Assim que adotar o pet, leve-o na clínica para fazer exames preventivos. Uma visita regular também é interessante para checar a saúde do animal.
  • Cuidados básicos: todo cachorro precisa de exercícios físicos e cuidados veterinários. Eles também precisam de banhos, corte de unhas e alguns de tosas periódicas.
  • Ração e água fresca são essenciais para o seu pet. Não esquecendo, é claro, de limpar o pote e trocar diariamente tanto o alimento, quanto a água.
  • Brinquedos para cães: compre alguns brinquedos para seu cão brincar. Veja o perfil dele, dependendo de como ele for, muito ou pouco energético, o tipo indicado do brinquedo indicado pode variar.
  • Socialização do seu pet: dependendo de como seu animal vivia anteriormente, ele pode estranhar a sua nova casa, por ser um ambiente totalmente novo. Seja paciente e tente fazer de sua casa um lar favorável para ele. É importante ressaltar que, caso haja outros moradores peludos na casa, dê um tempo para que eles se adaptem ao momento novo Nossa dica para isso é que o primeiro encontro deles seja na rua, durante um passeio, assim os todos chegarão juntos em casa.

E caso você tenha adotado e por algum motivo o animal não se adaptou, entre em contato com o canil responsável pela adoção ou procure um novo lar e uma nova família para ele. Lembre-se que abandono de animais é caracterizado como maus tratos, além de ser crime.

Mas temos confiança que tudo vai dar certo pra você e seu novo amiguinho, então, é só felicidade! Brinquem muito e sejam muito felizes! 😀

cães-e-gatos

 

0 comentário em “Quero adotar um animal. O que fazer e quais são os cuidados necessários?

%d blogueiros gostam disto: