Anúncios
Saúde e alimentação

A vacina ética é melhor do que a nacional?

Saiba tudo sobre o tipo de vacina apropriada para dar em seu pet!

Proprietários de animais ouvem com certa frequência que não devem vacinar seus animais com a chamada vacina nacional, e sim, com a vacina “ética” ou vacina importada. Mas e afinal, qual a diferença entre elas?

A maior diferença entre a nacional e a importada é a presença de duas cepas (tipos de vírus) existentes dentro da vacina que não existe no Brasil, que são as famosas V10, mas nem todas as V8 ou V6 ou V4 são nacionais ou piores por isso, cada uma tem suas vantagens e desvantagens.

Esse mito de que a vacina nacional tem pouca eficácia, na verdade deu-se devido ao fato de que a vacina nacional era mais popular e antigamente mais fácil de ser encontrada, e sendo assim, na maioria das vezes, era aplicada por pessoas desqualificadas que não necessariamente conseguem manter o armazenamento necessário exigido para a eficácia da vacina. Muitas vezes são vendidas diretamente para o dono ou protetores, donos de lojas, balconistas, banhistas, tosadores, criadores, etc que não têm o treinamento adequado para tal.

Ou seja, nenhum tipo de vacina pode sofrer problemas de armazenamento e quando uma vacina não é armazenada adequadamente ela perde a sua eficácia e isso é muito mais comum acontecer entre as vacinas que chamamos não éticas, pois está em mãos de pessoas leigas que não conhecem as normas de armazenamento correto das vacinas, fazendo com que elas percam as propriedades e sua funcionalidade, assim o animal em que a vacina for aplicada não terá o efeito desejado sendo ela nacional ou não!

Outro ponto também a ser levado em consideração é que cada vacina tem um tempo de revacinação específico que deve ser respeitado, ou seja, se o período não for respeitado ou se dado antes do período devido, a vacina perde a sua eficácia, fazendo com que o animal não fique imune aos agentes que a vacina propõe imunizar, tornando a vacina não ética.

Uma vacina só é legalmente reconhecida pela lei quando há o carimbo e a assinatura do médico veterinário, apesar de o ato de aplicar a vacina não ser exclusivo do profissional, mas atestar que o animal está apto para ser vacinado, sim. Ou seja, antes de aplicar qualquer vacina no animal, ele precisa passar por uma consulta, uma anamnese, para saber o histórico do animal, onde o veterinário investiga todo quadro de saúde procurando detalhes que possam ser úteis e tornem a vacinação mais segura e somente se estiver com a saúde perfeita, ele é vacinado.

Há muitos casos de cães que adquiriram as doenças que as vacinas deveriam supostamente evitar que eles desenvolvessem quando são vacinados, e isto se deve principalmente as condições em que a vacina chega ao consumidor final e também aos cuidados com o animal antes e depois da vacinação.

Muitos donos não tomam os devidos cuidados com os filhotes de não levá-los as ruas, ou quando levam deixam em contato com o chão, ou em contato com outros cães, principalmente sem vacina em dia, o que pode acarretar na contaminação e fazer com que a vacina perca seu efeito.

Outro cuidado muito importante mesmo com os cães com vacina em dia é o acesso à rua, pois eles podem trazer nas patas as impurezas e bactérias pra dentro de casa, por isso é sempre bom tirarmos os sapatos ao chegar em casa e também limpar as patinhas dos cães para evitar contaminações desnecessárias. E claro, sempre manter a vacina em dia!

No entanto, todos os tipos de vacina (nacional ou importada) possuem os mesmos requisitos de composição biológica, os mesmos requisitos de estrutura física do laboratório onde a vacina é produzida e atendem as exigências do MAPA (Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento) pureza, identidade, titulação, sorologia, esterilidade, inocuidade, eficácia, potência/imunogenicidade e padrão ouro. Portanto, dizer que a vacina nacional é pior que a vacina importada é absolutamente errado! A diferença está na forma de armazenamento da vacina. Se a vacina importada for armazenada fora da temperatura ideal, também perderá sua eficiência e não imunizará o animal!

O controle exigido pelo MAPA para a vacina faz com que estabelecimentos comerciais tenham refrigeração entre 2 e 8°C com dois termômetros de controle de máxima e mínima, nunca pode ser congelada e deve ser comercializada em caixas isotérmicas.

Lembrete: o ato de vacinar não é exclusivo do médico veterinário. Qualquer pessoa pode fazê-la. No entanto, cabe somente ao veterinário atestar que o animal está apto a vacinação e carimbe sua carteirinha, já que é um documento e só é valido – perante a lei – com o carimbo e assinatura do profissional.

Então aconselhamos a sempre levar o seu animal para ser vacinado por um médico veterinário. Neste caso, ele poderá usar tanto a vacina nacional, quanto a importada e com certeza, armazenará o medicamento de forma correta. E lembre-se de nada adiantará o médico veterinário ter todos os cuidados com a vacina se você não respeitar as orientações dele, a saúde do seu animal está sempre em primeiro lugar!

cachorro-sendo-vacinado-pelo-medico-veterinario

Anúncios

0 comentário em “A vacina ética é melhor do que a nacional?

%d blogueiros gostam disto: