Anúncios
Guia de raças

Pequinês: conheça tudo sobre a raça

A raça é perfeita para apartamento e para quem procura um fiel companheiro. Saiba tudo sobre suas características e como cuidar dele!

Originários há milhares de anos em território Chinês, hoje o Zolina fala um pouco sobre a raça Pequinês! Resumindo eles são perfeitos para pessoas que residem em apartamentos e para aqueles que querem uma boa companhia, eles são cães de pequeno porte e de um comportamento bastante dócil, além de serem muito inteligentes e muito carinhosos.

A raça surgiu há mais de quatro mil anos na China e foi considerado um cão sagrado no século II, data de surgimento do Budismo, onde os exemplares da raça eram conhecidos como Leões de Buda.

Outro apelido dado a raça era na época foi “Cão de Manga”, pois devido a seu tamanho pequeno conseguiam entrar facilmente nas mangas largas das vestimentas chinesas.

Conta também a história que em 1860, o Palácio Imperial de Pequim – da Cidade Proibida, na China (durante a Segunda Guerra do Ópio) foi invadido e saqueado por tropas franco-inglesas. Durante a invasão, soldados teriam encontrado centenas de pequenos animais mortos, e estes, mais tarde, foram reconhecidos como ancestrais dos Pequineses atuais por historiadores. Lembrando que a raça era guardada como propriedades exclusiva do imperador.

Surge então, a ideia de que os chineses preferiam ver seus cães, tidos como sagrados, mortos, a vê-los em mãos ocidentais, sobretudo naquelas que invadiram o Palácio de Verão. Mesmo assim, foram encontrados durante a invasão, cinco exemplares vivos que foram levados para a Inglaterra. Eles teriam saído do Palácio como presas de guerra. Já na Europa ocidental eles seriam distribuídos e direcionados.

A raça alcançou popularidade rapidamente no Brasil, sendo que nos anos 60 os Pequineses eram os cães mais populares dentre os cães de companhia, muito em função desta popularidade é que a raça foi tão descaracterizada, culminando no seu quase desaparecimento cerca de 10 anos após o seu auge.

Características físicas dos cães da raça

Seu peso fica 5Kg para os machos e 5,4kg para as fêmeas, são pesados, porém pequenos. Os cães dessa raça geralmente apresentam cintura definida, a juba com pelos mais compridos, mas não chega a cobrir os ombros, e possuem subpelos macios.

As orelhas são pequenas, juntas da cabeça, e tem uma espécie de franja que se mistura ao resto da pelagem. O pelo é espesso, longo, reto. A raça possui duas camadas de pelo: o pelo e o subpelo.

Temperamento do Pequinês

É uma raça com um temperamento indiferente quanto a medo e a agressividade, ou seja, não é nem agressivo e nem tímido. São alegres, corajosos e leais. Com os humanos eles são meigos e dóceis, porém são reservados com estranhos.

A “fama” de agressividade desta raça é devido ao fato de cruzamentos inadequados da raça entre a década de 60 e 70, cruzamentos estes sem discriminação de padrão, tanto no quesito da estética, quanto no quesito de comportamento, o que acabou tendo uma influência negativa no resultado das crias, e por conta disso a raça quase foi extinta. E o resultado dessas cruzas indevidas foram animais mais agressivos, que em sua maioria eram abandonados, além de possuírem também diversos problemas na coluna e respiração.

Porém quando falamos do exemplar legitimo da raça, este tem comportamento dócil e amigável conforme citamos anteriormente.

Saúde do animal

Vamos lembrar que é uma raça braquicefalica e ele é extremamente peludinho, por isso sente muito calor e o manter em local fresco é muitíssimo importante. O ideal é sempre deixá-lo em ambientes com acesso a sombras e com piso frio.

Seus pelos, em especial os localizados na região dos glúteos, devem ser escovados ao menos uma vez na semana, isso para tirar os que já estão mortos e mantê-los bonitos e vistosos.

Embora o cão pequinês se acostume mais rápido com pequenos ambientes, ele precisa de uma dieta balanceada e exercícios diários para que não acarrete problemas futuros, como obesidade ou alguma doença proveniente do sedentarismo. Procure levá-lo para fazer caminhadas e atividades físicas ao ar livre pelo menos três vezes na semana, isso vai fazer muito bem para o seu cão, pois também estimula a parte cognitiva do cão.

Outro fator importante ao levá-lo para passear é que, por eles terem um temperamento indiferente, ensinar algo pode ser mais trabalhoso, mas isso não significa que ele seja burro ou que não vá aprender, e sim que o estimulo não está sendo interessante o suficiente para ele, o que pode tornar o adestramento mais difícil para você.

A caminhada é uma atividade mais fácil para agradar o cão, e se quiser adestra-lo use a criatividade e procure conhecer o seu Pequinês a fim de que ele foque nos comandos que serão passados e consiga de fato aprender algo. No mais é foco e perseverança! Ninguém disse que seria fácil! =)

No geral eles não costumam ficar muito doentes se forem bem cuidados e, principalmente, criados com muito carinho e amor!

Mas atenção: assim como todas as raças braquicefálicas, podem desenvolver pequenos problemas respiratórios. Por isso, antes de ter o seu, conheça bem o canil e os pais dos filhotes e sempre o leve para um check up com seu veterinário de confiança.

E ai gostaram de saber um pouquinho mais dessa raça? 😉

pequines-branco-sentado-no-chão
Crédito: Pixabay
Anúncios

0 comentário em “Pequinês: conheça tudo sobre a raça

%d blogueiros gostam disto: