Saúde e alimentação

Saiba sobre os riscos de medicar seu pet por conta própria

Se a automedicação é algo muito perigoso nos humanos, o perigo é maior ainda quando um remédio é usado em animais de estimação. Leia sobre os perigos de dar medicamentos ao seu animal sem prescrição médica aqui, no Zolina.

Ok! Entendemos que a preocupação de ver seu cão ou gato com algum sinal clínico não é nada agradável. Mas mesmo com tamanha angústia, não podemos tomar decisões precipitadas no sentido de dar medicações aos nossos pets sem orientação médica. Isso porque na medicina veterinária, os remédios são prescritos de acordo com o peso exato do animal, idade, espécie (cão ou gato), condição do animal e, em alguns casos, a raça também é um fator determinante.

Remédios para humanos

Algumas dessas medicações são contraindicadas para cães e gatos. Ou quando se tem a indicação, a dose é individual. Os antigripais humanos, por exemplo, contêm princípios ativos altamente nocivos e até tóxicos para cães e gatos. Como por exemplo, o paracetamol e o diclofenaco que podem causar falência renal, úlcera gástrica e pancreatite. Muitas vezes, dependendo da dose, podem até levar o seu animalzinho à óbito. Para se ter uma ideia, o diclofenaco é tão nocivo para cães e gatos que até mesmo o contato com pomadas e gel, a substância pode levar à problemas muitos sérios.

Remédios de uso veterinários

Medicamentos de uso veterinário usados sem indicação, também podem gerar graves consequências. Algumas raças de cães, por exemplo, são sensíveis a uma determinada medicação veterinária usada comumente no tratamento de sarnas. Nessas raças, esta medicação pode levar o animal a problemas neurológicos graves. Outros fatores são os animais com problemas gastrointestinais e doença renal, que não devem receber certos anti-inflamatórios mesmo que de indicação veterinária.

Animais jovens, idosos, fêmeas grávidas ou em lactação possuem várias restrições relacionadas a medicações. Algumas delas, usadas em fêmeas prenhas, podem levar a formação de fetos com problemas físicos. Outras passam através do leite e podem afetar a ninhada inteira. Idosos e jovens, no entanto, possuem metabolismo diferente de adultos.

Lembre-se também que alguns xampus antipulgas para cães não podem ser usados em gatos, pois são tóxicos. Além disso, antibióticos e analgésicos de uso veterinário possuem doses individuais de acordo com o peso exato do animal. Sendo que as doses da bula e frequência de uso podem, por vezes, variar de acordo com a condição clínica.

Chás ou remédios caseiros

Chás e medicamentos caseiros podem alterar ainda mais a situação do paciente. Na piora, o responsável procura o médico veterinário e muitas vezes não conta sobreo que administrou pois acredita que, sendo caseiro, não precisa ser mencionado. No entanto, essas informações precisam sim ser dadas ao especialista pois, quando omitidas, podem dificultar seu trabalho.

A falta de conhecimento dos donos pode intoxicar o cachorro ainda mais. Para os especialistas, muitas vezes após a intoxicação ocorre vômito, e por medo de ter “perdido” a medicação, ou por achar que o animalzinho está piorando, o dono acaba dando uma nova dose da medicação, o que agrava o quadro ainda mais.

Portanto, se seu animal estiver apresentando qualquer alteração de comportamento ou sinal clínico, como vômito, diarreia, dor, dificuldade de locomoção ou até problemas dermatológicos, não hesite em procurar um veterinário. Pois um problema que era “simples” pode se tornar muito complicado devido a medicação sem prescrição.

cachorro-deitado-na-grama

0 comentário em “Saiba sobre os riscos de medicar seu pet por conta própria

%d blogueiros gostam disto: